Arquivo da categoria: Uncategorized

Fica a dica em BH

Pra quem, assim como eu… Gosta demaaaaais de Frozen Yogurt, vai gostar da novidade!!!

Em BH, abriu mais uma loja que vende o produto que está virando febre… O Yogo Mio… Fica na Av. Cristovão Colombo, 476  –  Savassi.

Achei deliciosoooo… E pra quem gosta de Yogoberry, pode saber que vai gostar também… achei o sabor super parecido… De todas as lojas que vendem o frozen, o Yogo Mio é o que mais tem semelhança com o top de vendas!!!!

Ainda possui diferenciais… 4 sabores de picolés, que de cabeça não lembro os sabores… E o sabor blend, que você junta a fruta ao iogurte e para dar sabor ao mesmo!!!!

Bom, então fica a dica!!!

As fotos foram retiradas do blog vivaoluxo.

Nickolle Abreu

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

O melhor restaurante do mundo

 

E finalmente… O Melhor restaurante do mundo!

img.jpg

Situado numa casa reformada do século 18, na beira do mar de Copenhagen – Dinamarca, o Noma acaba de ser eleito o melhor restaurante do mundo, comandado pelo chef dinamarquês Rene Redzepi, de 32 anos. Ele que é o expoente do que tem sido chamado de nova cozinha nórdica, resultado da união de ingredientes locais com técnicas tradicionais e de alta gastronomia.

Mariscos gigantes, caranguejos do fundo do mar, lagostins das Ilhas Faroe, salmão selvagem, bacalhau fresco e algas marinhas da Islândia.
Faisão e búfalo da Groelândia, trufas da Suécia, frutas, plantas e sementes das florestas nórdicas, e ovos de atobá do Ártico, de gema vermelha.

São ingredientes inéditos e de qualidade excepcional que entram na cozinha de Redzepi, e tem chamado muita atenção de experts e gourmets do mundo inteiro. Não é por menos que o Noma ultrapassou o El Bulli, que por 4 anos conzecutivos ficou em 1º lugar no ranking.

O chef dinamarquês Rene Redzepi, do restaurante Noma, colhendo plantas para usar em seu restaurante

O local escolhido para o empreendimento, cujo nome foi criado a partir da junção dos termos dinamarqueses “nordisk” (nórdica) e “mad” (comida), é uma antiga construção de 1747, que antes era usada para armazenar os alimentos que chegavam de navio ao país.

Redzepi gosta que as pessoas usem as mãos para comer e cria um clima meio teatral no Noma que enfatiza a conexão com a natureza que ele quer que os clientes sintam – e isso tem o lado extremamente benéfico de também ser uma grande diversão.

Bar inside Noma, Copenhagen.

O estilo do restaurante à beira-mar enfatiza elementos rústicos – vigas de madeira de demolição, couro de ovelha sobre o espaldar das cadeiras – sobre outros de elegância mais convencional. Atendimento atencioso e de muita qualidade, sendo que freqüente que cozinheiros saiam da cozinha um pouco apertada para entregar e explicar tais pratos. Geralmente a cozinha tem 24 cozinheiros – mais de um para cada dois clientes – de seis países diferentes, sendo o inglês a língua oficial.

Noma: view from our table

Seu menu fixo de 7 pratos custa a partir de DKK1095 (equivalente a R$350), e com a lagosta incluida DKK1250 (equivalente a R$400) – ALMOÇO e para Janta um menu ‘Noma Nassaaq’ que custa em torno de R$450 com 12 pratos e uma solicitação de permanência na casa de no mínimo 4 horas para a degustaçãop. Mais 7 taças de vinho por DKK895 (R$286) e menu de sucos por DKK395 (R$126). Um preço justo quando se trata do melhor restaurante do mundo…

Bom, vamos aos pratos.

Snacks:

Sea-buckthorn ‘leather’ with pickled rose hip petals.  – Sea-buckthorn é uma frutinha proveniente das regiões montanhosas da China e da Rússia. O prato é uma espécie de couro desta frutinha com pétalas de rosas.

 

Cookies com speck (tipo um presunto cru) e groselhas.

Sanduíche de pão de centeio torrado com pele de galinha, queijo defumado e creme de feijão fava

Ovo de codorna defumado – O ovo está levemente defumado e sua gema ainda mole…

Rabanetes em solo – sO “solo” é feito de uma camada de malte triturado, avelãs e cerveja assentados sobre um creme de iogurte de leite de ovelha com estragão.

 

Ovas de bacalhau tostadas, ervas selvagens e pó do vinagre

Pão quente com manteiga recém-revolvidos e banha de porco

Beterraba com molho agridoce e malte.

Fatias crocantes de vieiras com grãos secos, avelãs e molho de tinta de lula.

Tartare de carne dinamarquêsa, emulsão de estragão e bagas de zimbro. (come-se com as mãos)

Lagostim com salsa de ostras, e emulsão de água do mar, e migalhas de centeio. (come-se com as mãos)

Aspargos brancos, brotos de pinheiros e molho de pinho

Cebolas com caldo de couve e cebola.

Purê de ‘talos de vegetais’ e peixe grelhado servido com um purê de cenoura branca, uma flor de sabugueiro, o vinho branco e molho de alcaparras, talos de agrião e aipo, couve e ervas.

Ovo frito…

Veja o seu preparo aqui!!

Lombo de veado cozido a 58 graus e depois torrado para dar uma crosta saborosa, deixando a carne derretendo, servido com caramujos, samambaias e cogumelos.

Morangos servidos com camomila, flor de sabugueiro e pequenos discos de parfait de feno. O garçom, em seguida, despeja um caldo de camomila frio e molho de óleo de canola por cima.

Sorbet de cenoura coberto com espuma de leitelho cercado cenouras cruas e cescascadas e cenouras biodinâmica e pedaços de bolo desidratado de anis estrelado, enfeitada com folhas de cenoura e raízes.

Sorbet de tupinambo com bolinhos de maçã e discos de chocolate, com uma redução de maçã e manjerona.

Pratos lindos demais… Deixando bem claro o natural dos alimentos.

Informações e imagens retiradas daqui, aqui e aqui… kkkk

Noma
Strandgade 93
1401 Copenhagen, Denmark
Tel: +45 32 96 32 97

www.noma.dk

Nickolle Abreu ♥

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

OS melhores restaurantes do mundo:2º

O restaurante reconhecido com 3 estrelas Michelin, é o El Bulli, localizado num vilarejo chamado Roses, na costa nordeste da Espanha, a mais ou menos uma hora e meia de carro de Barcelona. De tão famoso que ele é, pessoas vindas do mundo inteiro alugam carro em Barcelona ou compram passagem de ônibus e caem na estrada só pra ir comer lá.Ele que até o ano passado foi considerado por 4 anos consecutivos O MELHOR RESTAURANTE DO MUNDO, caiu uma posição em 2010.

 Hans Schilling e sua esposa Marketta foram os criadores do El Bulli em 1961. Hoje, Ferran Adrià e Juli Soler são sues proprietários. Um menu tem de 170 a 200 ingredientes. Estes que são cuidadosamente estudados e combinados no “laboratório” de Adrià na época em que o restaurante não está em funcionamento. Tudo para estar constantemente encontrando novas formas, sabores e texturas para os alimentos servidos. Seus cozinheiros trabalham quase 12 horas por dia, outros chegam até 15 horas, sendo uma maratona bem puxada… Mas não é para menos, quando se trada DO El Bulli!!!

Difícil mesmo é conseguir uma reserva… E dos quase meio milhão de solicitações, apenas oito mil pessoas por ano conseguem uma reserva para o tão disputado restaurante, de abril até setembro, 50 por dia, 15 mesas cada noite. Sendo que servem apenas o jantar. Seu menu degustação, custa 190 Euros, o que não é um absurdo (o Per Se em NY custa US$ 280,00).

elbulli terrace 468x312 El Bulli restaurant to become culinary academy‎

Talvez você até já tenha ouvido falar nele… Ferran Adrià é um catalão baixinho e carismático. O Pelé da gastronomia, atrai gente do mundo inteiro pela comida maluca e deliciosa que serve em seu restaurante.



Desde a entrada o restaurante já se mostra bem surpreendente, uma vez que eles não possuem menu. Quem chega, se depara com uma ampla casa, com decoração simples, tipicamente mediterrânea. Paredes brancas e detalhes da estrutura em madeira. Seu salão possui mesas bem espaçadas e uma maravilhosa vista para o mar. Logo os garçons começam a trazer as primeiras comidinhas, que o chef gosta de chamar de snacks. No total, um jantar típico inclui uns 35 pratos, todos pequenos. Servidos sobre telas metálicas ou blocos de pedra, têm uma aparência incomum e única: é comida que não se parece com nenhuma outra comida no mundo.

Mas pra quem está pensando em TENTAR fazer uma reserva… Só se for para 2014… O restaurante fechará suas portas durante 3 anos. Tornando-se um tipo de escola de experimentos – um laboratório de idéias, onde procurará por novas técnicas e descobertas em sua cozinha surpreendente.

Bom, vamos aos pratos:

cañas mojito 

Cristal de parmegiano: estalana boca e depois se derrete. 

Gin fizz frozen caliente – refrescante e quente, duas texturas e dois sabores.

Aceitunas verdes sféricas-I: azeitona líquida

Cacahuetes miméticos:  Um salgadinho de amendoim (cacahuetes) meio doce, lembra  uma paçoquinha. Não existe uma separação entre doce e salgado no El Bulli.

Galleta de sésamo: gergelim

Chips de vanilla: arrematados com caviar

Cereza umeboshi. Ameixa seca (umeboshi) dentro da cereja – Ácido, doce e esalgado.

Flor em néctar

Esponja de coco

Bizcocho de sésamo negro y misso – feio, porém delicioso.

Hoja de ostra com rocio de vinagre: Uma folha com gosto de ostra com gotas de vinagre e um pedacinho de cebola caramelizada na ponta.

Canapé de piel de pollo

Trufa sorpresa

Lentejas de Montjoi: um prato quente de lentilhas com açafrão.

Arquivo da seção:‘El Bulli’

El Bulli

8 setembro, 2009 por Jussara Voss
02:19

“La ambición sin paciencia es peligrosa”.

Descobri porque as pessoas que vão ao El Bulli, o restaurante de Ferran Adrià, o “primeiro do mundo”, dizem que é uma experiência. “Como foi?”, perguntava, “bom ou ruim?”, e sempre escutava “é diferente” e eu deduzia: acho que não vale a experiência. Mas afinal, é mesmo esse catalão um gênio como dizem, ou um cozinheiro que resolveu “desconstruir” a comida e que ganhou admiradores e críticos pela cozinha praticada, contando para isso com o apoio da mídia. Sem muita reflexão e análise do fenômeno, depois de conhecer o seu trabalho, concluo: é um artista. Talentoso, sem dúvida. Talvez o problema maior esteja em seus imitadores que sem criatividade suficiente, ou preparo, se perdem em invenções malucas e sem gosto, não falo dos seguidores que dominam a arte, cozinheiros dedicados que conseguem, em alguns casos, superar o gênio, ficando com a cabeça solta mas com o pé na terra. Amante da comida “comida” e não de espumas ou esferas, confesso que tinha medo do El Bulli, o “bulldog” me assustava. Por isso tudo, tinha desistido de conseguir uma mesa no restaurante, tinha tentado uma única vez – algumas pessoas passam anos perseguindo esse objetivo em vão, tem até comunidades dos “que querem jantar lá e não conseguem”. Então, conseguir um lugar no restaurante três estrelas Michelin é como uma loteria. Pois, eu, sem jogar, ganhei um bilhete premiado, sem querer e por puro acaso do destino e generosidade de amigos, jantei no El Bulli, em ótima companhia. Numa noite agradável na enseada bela de Montjoi descobri o que acontece naquela casa que atrai 50 pessoas todos os dias durante apenas seis meses no ano. Pois, vou contar, uma noite no El Bulli é como uma “montanha russa”. Em algumas horas, do sabor maravilhoso ao estranho e até repugnante. Começamos subindo a escalada invencionista lentamente, como o carrinho do brinquedo que quando é acionado e começa esquentar as roldanas pouco a pouco para depois despencar despenhadeiro abaixo para desespero dos mais medrosos e fóbicos. Foi exatamente assim no El Bulli, começamos com a famosa caipirinha e lâminas de queijo deliciosamente crocantes. Respirei aliviada, tinha iniciado a aventura e parecia que o mar naquela enseada jamais se agitaria. Ledo engano, depois do caldo de camarão e alguns intestinos de moluscos e outros bichos, vi que era preciso cautela para encarar os 35 pratos do menu. Chegamos às 20h e fomos direto para a cozinha, todos os clientes seguem esse ritual, e ele, o mestre-cozinheiro, um cara simples, estava lá comandando um pequeno exército, meio sem jeito na vitrine entre os comensais curiosos. Saímos às 2h, fechamos o restaurante, matamos a curiosidade, conhecemos o talento de um homem ousado. Um jantar com altos e baixos, mas ele pode. Uma experiência, realmente, para não esquecer.

Mais sobre o El Bulli

O restaurante recebe cerca de oito mil pessoas por ano, de abril até setembro, 50 por dia, 15 mesas cada noite. Só servem jantar. Mil e quinhentos pratos. Quem criou o El Bulli foi Hans Schilling e sua esposa Marketta em 1961. Hoje, Ferran Adrià e Juli Soler são os proprietários. Adrià está na casa desde 1984, fez um estágio de um mês em 1983, e Soler está lá desde 1981. De 60 a 70 pessoas trabalham nas temporadas. Um menu tem de 170 a 200 ingredientes. Os cozinheiros trabalham quase 12 horas por dia, outros chegam até 15 horas. Os antigos donos tinham cachorros da raça bulldog franceses e os chamavam de “bulli”. Antes da chegada de Adrià o El Bulli já tinha a segunda estrela Michelin, que logo se perdeu sendo recuperada em 1990. A terceira veio em 1997. A cozinha tem 350 m². Um dos salões da casa está quase igual como era em 1982. Um jantar dura cinco horas. São 40 cozinheiros para 50 comensais. Fonte: “Un dia en El Bulli”. Em 2010: cardápio novo.

Menu do El Bulli

Primeiro ato: entram os “snacks”, ou bocados.

Desconstruindo a caipirinha: cañas mojito –  para quebrar o gelo. Essa foi fácil. Quem nunca chupou cana?

Cristal de parmegiano: estalando na boca e depois se derretendo. Começando muito bem.

Gin fizz frozen caliente: refrescante e quente, duas texturas, dois sabores inesquecíveis.

Aceitunas verdes sféricas-I: uma azeitona líquida parece uma bobagem, mas é tão perfeita e surpreendente que dá vontade de comer mais.

Cacahuetes miméticos: indecifrável. Um salgadinho de amendoim (cacahuetes) meio doce, lembrou uma paçoquinha. Não existe uma separação entre doce e salgado no El Bulli.

Galleta de sésamo: gergelim assim ficou ainda mais irresistível.

Chips de vanilla: arrematados com caviar, imperdíveis.

Cereza umeboshi. Ameixa seca (umeboshi) dentro da cereja, ficou dos deuses, nunca tinha comida assim. Ácido, doce e salgado.

Flor em néctar: como uma abelhinha extraindo a iguaria, nada igual.

Esponja de coco: como a maioria dos pratos era para ser comida sem talheres de uma só vez. Macia, saborosa e intensa.

Bizcocho de sésamo negro y misso: o gergelim com a pasta de soja ficou muito feio, porém, delicioso.

Hoja de ostra com rocio de vinagre. Acredite: é uma folha com gosto de ostra com gotas de um vinagre saboroso e um pedacinho de cebola caramelizada na ponta.

Canapé de piel de pollo: crocante, macio, saboroso, daria para comer um balde.

Trufa sorpresa. Fiquei tão pasma com esse prato que a única coisa que eu lembro é que não se comia a folha. Alguém pode ajudar?

Lentejas de Montjoi: um prato quente de lentilhas é sempre bem-vindo, ainda mais com açafrão.

Gambas dos cocciones

Almendra mimética:  O gelado era “água de tomate”. Do lado esquerdo: um pedaço de manga

Lechuga \ tomate

Berberechos com yuzu: berbigão, molho de soja, erva-doce fresca e crocante e limão japonês.

Leche de soja com soja

Bocadillo de calabaza y almendra.

Ortiguilla al té. “Sesos del mar” – Comida típica do sul da Espanha… Não sei não…mas a cara tá terrível!

Shabu-shabu de piñones. Aqui uma “releitura” da “fondue” chinês. É preciso mergulhar os saquinhos rapidamente  no caldo.

Abalones: um molusco popular na Ásia, bem rijo

Espardeñas gelée: conhecido como pepino do mar, é uma iguaria.

Ravioli de parmesano e vinagre com ouro.

Canapé de conejo y sus menudillos: muitos sabores e muitas texturas.

Riñones de cabrito com consomé el jerez, yogur y hinojo. Rins de cabrito.

Estanque: um gelo crocante: Limpando o paladar para os doces.

Marshmallow de fruta de la pasión. Marshmallow com sorbet de maracujá.

Coco: ovo gelado salpicando com curry

Hojaldre de piña

Moluscos doces

Morphings… substituindo os petit fours

Quanta coisa, não é!??!

Confesso que o The Fat Duck me chamou mais atenção…

Carmen 15-17 entlo 2a., Barcelona, Espanha  –

Tel:(34) 933 425 616

www.elbulli.com

Informações e imagens retiradas daqui e aqui.

Fiquem amanha com o Melhor Restaurante do Mundo!!!!!!!

Nickolle Abreu

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Os melhores restaurantes do mundo: 5º

Provavelmente nem com um GPS será tão fácil de chegar ao restaurante que ocupa a 5ª posição no Ranking dos melhores restaurantes do mundo…

O Mugaritz, restaurante comandado pelo chef Andoni Luis Aduriz , fica no alto das colinas de Errenteria, na Espanha. Um lugar não tão acessível… E para conseguir chegar lá, você tem que pegar informações de seu endereçoem Errenteria. Quem sabe porque seu terreno está, ao mesmo tempo, em três cidadezinhas do País Basco.

casa-mugaritz

 Andoni é talvez o mais cientista da nova geração de chefs espanhóis.  Dizem que é também o preferido de Alex Atala e de Alain Ducasse. Além de ser considerado um dos mais criativos por Ferrán Adriá… Esse tem moral!!!

Adoni

A casa atraentemente lembra uma cabana (gigante) toda em madeira e vidro. Você almoça com vista para as ovelhas e para a árvore que chamam de “ritz”, na língua local, e que dá a tal bellota, uma espécie de castanha dura, da qual os porcos se alimentam e daí vem o famoso “jamón ibérico de bellota”, talvez o melhor presunto cru do mundo. O nome do restaurante vem de “muga”, que significa exatamente essa fronteira embaralhada de 3 cidades, e “ritz”, a linda árvore ao lado de fora da casa, que produz a castanha tão especial.

arvore-ritz

“Todos os dias, vamos às 7h ao mercado local e compramos o que tem de mais fresco e da estação. Então, o menu nunca é igual e jamais forçamos servir algo que não está na sua época”, contou Rafael, um brasileiro formado nos EUA, que se tornou sub-chef de Adoni. Além disso, cada prato servido no restaurante tem que ter no máximo 4 produtos e o mínimo de processos e passos necessários para sua preparação. É técnico, é científico, mas busca a simplicidade. Só que é lúdico, divertido. É legal demais receber as “pedras” comestíveis como aperitivo na mesa. Pegar, morder e perceber que é uma batata assada, com um sabor incrível, delicioso de…. batata e de boa qualidade.

batata

Em fevereiro deste ano, um incêncio destruiu a cozinha do restaurante e uma pequena parte do salão… A causa é desconhecida, mas supeita-se que o ocorrido deve-se à um curto circuito. O restaurante permaneceu fechado durante 3 meses e reabriu as portas no mes de junho de 2010. Para a felicidade de muitos amantes da boa cozinha internacional…

O restaurante serve geralmente entre 40 e 48 pessoas por refeição. São 2 menus degustação: um de 8 pratos e outro chamado Natura de 12 pratos e possui menus fixos a 95 euros ou 125 euros.

Vamos aos pratos:

camaroes

 Camarões crocantes

ostra-e-grao-de-bico

Ostra servida com grão-de-bico

carpaccio

 Carpaccio de melancia, com castanhas e queijo Idiazabal. A melancia tem a consistência exata de uma carne de boa qualidade, só que um pouco mais doce.

ovas-ourico

Ovas de ouriço

cenouras-e-lulas

Baby cenouras cozidas na terra com lula e grãos, servidos com um suco concentrado de lula salteada com polpa de azeitona Arbequina

peixe

Pepino do mar com “bianchetto”, que parece trufas brancas, e sementes de amaranto com funcho marinho

bacalhau

 Queixo de bacalhau (parte mais gelatinosa , que está embaixo da cabeça do bacalhau) branqueado em sua gelatina com mel de flores de acácia

foie-gras

Escalope de foie gras de pato com abóbora cabelo de anjo (é chamada assim porque, depois de cozida, fica parecendo um espaguete), pimenta e creme de amendoim

linguado

Linguado servido sobre uma mousse concentrada de suas espinhas e dente de leão

ternera-de-leche

Vitela de leite, assada e “perfumada” entre brasas de carvão, com tomilho e rabanete

pato

Pato com lascas de trufas

veado-e-lagosta

Carne de rabo de cerdo ibérico (um porco da Península Ibérica) e caldo de sua cocção com lagosta e lascas de  jamón ibérico de bellota

doce

Raiz de aipo cristalizada (utilizando técnica de uso do cal dissolvido em água, como se faz com o doce de abóbora), com sorvete de aipo

espuma-sobremesa

Pastilha de avelã com sua espuma

painperdu

Torta de nata, tostada e caramelizada (uma espécie  rabanada) com sorvete de leite de ovelha

[PB220083.JPG]

[PB220070.JPG]

Esfera de chocolate branco quebradiço e chá de especiarias destilado

[PB220072.JPG]

Bolo de chocolate, creme frio de amêndoa, fundos de ouro, bolhas e cacau.

Mugaritz: Otzazulueta baserria. Aldura aldea 20 zk. Errenteria. Gipuzkoa. Tel. 943 522455. info@mugaritz.com.

www.mugaritz.com

Fonte: Estadão, Blog Mesadeanateresa e Colunistas ig.com.

 Nickolle Abreu

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Os melhores restaurantes do mundo: 6º

E hoje, para tirar um pouco dos restaurantes americanos da lista… Na sexta posição, nada mais, nada menos do que um restaurante Italiano.

Agora você tem mais um motivo para querer visitar Modena, a terra do queijo parmigiano-reggiano, do balsâmico, do tortellini, do prosciutto e da Ferrari… Conhecer a  Osteria Francescana… O restaurante comandado pelo renomado chef Massimo Bottura, é detentor de 2 estrelas Michelin.

Name:  6.jpg Views: 1321 Size:  30.0 KB

O design em seu interior é feito de parede brancas cobertas com fotos de celebridades locais, 36 mesas redondas, com elegantes toalhas brancas e pequenos enfeites de tulipas e pedras negras. O restaurante de luxo tem orgulho de seus 150 anos de idade e a maioria de seus clientes são atendidos pelo próprio chef.

Em seu restaurante, o Chef mescla com muita habilidade os ingredientes típicos da região, incrementando com técnicas contemporâneas: Apresentando num mesmo ingrediente diferentes temperaturas e texturas. Massimo é um grande conhecedor de aceto balsâmico e utiliza este ingrediente e suas potencialidades como poucos. Tanto que lançou um livro, chamado “Aceto Balsâmico”, de sua autoria.

Massimo Bottura

Os pratos muito bem feitos podem ser pedidos acompanhados de vinhos já selecionados que harmonizam perfeitamente com o sabor dos ingredientes. Um jantar com vinho incluido sai por 150 euros e o traje é informal elegante.

dsc02095-21

Vamos à alguns pratos!

dsc02045-21

Tempurá de peixe (anchovinha) com sorvete de roti.

dsc02047-2

Peixe defumado

dsc02049-2

Grissinis

dsc02053-2

Creme de bacalhau com pele de peixe frita (parece um torresmo), espinafre com óleo essencial  e pomodorini temperado 

dsc02060-2

Brodo suave de peixe com cubos concentrados de moluscos, crustáceos e peixe 

dsc02062-2

Risottino feito com água de ostras, nero de sépia e caviar

dsc02069-2

Robalo envolvido em pancetta com espuma de salsinha e purê de tupinamboa

dsc02074-2

Creme de alho poró com trufas

Parmegiano Reggiano apresentado em 5 formatos : um creme feito com um queijo parmegiano de 20 meses, uma pasta com um de 24 meses, um chantilly feito com um de 36 meses, uma espuma com um de 48 meses e a crosta, utilizando um parmegiano de 50 meses de maturação 

 

Como sobremesa ( e acompanhando o café), pequenos docinhos :gelatina de maracujá, pistache e wasabi; cheesecake; carolina explosiva; brownie de chocolate e ganache de chocolate

Imagens retiradas daqui.

www.osteriafrancescana.it
Aberto para almoço das 12:30 pm – 2:30 pm
Jantar: 18:45 – 21:30
Fechado para jantar no sábado e durante todo o dia no domingo

22 Via Stella, Modena 41100
Telefone: 30 059 2101 18
Fax: 39 059 2202 86
E-mail: mb-francescana@libero.it

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Os melhores restaurantes do mundo: 7º

E na sequência, vamos ao 7º colocado na lista dos melhores restaurantes do mundo

Mascarada pela fachada de um edifício quadradão cinza, o Restaurante Alinea, localizado em Chicago – Illinois é pra quem gosta de noites surpreendentes. Comandado pelo chef  Grant Achatz e com foco na cozinha molecular, o cenário para uma noite espetacular parece ser perfeito e tem atraído diversas pessoas do mundo inteiro a frequentar o lugar.

São praticamente 3 horas e meia de degustação de pratos minúsculos, que revelam sabores inesquecíveis, e que pesãrão em média U$ 125 pelo menu de degustação e U$195 pelo tour menu no seu bolso… O preço é um tanto justo, quando comparado à satisfação de poder provar peças raras da cozinha internacional. Desde agosto deste ano, a casa fixou o valor  para 20 pratos no tour. O que antes o cliente pagava um preço um pouco inferior, portanto o tour levava 24 pratos.

O ambiente é um tanto atraente, uma vez que sua decoração é bem discreta e ao mesmo tempo intrigante… Mas propositalmente é desta forma para contrastar com os pratos – que neste caso servem como decoração da casa.

Além de pratos extremamente bem feitos, uma das coisas que mais chamam atenção é o atendimento… Buscando sempre a perfeição. As refeições são servidas em pratos de prata, trazidos em travesseiros e almofadas macias, mudam os guardanapos a cada vez que um cliente se levantou da mesa, pedidos especiais estão sempre em consideração e os atendentes  estão sempre na ponta dos pés para dar os clientes o que eles exigem.

Desta forma, este restaurante é altamente recomendado para pessoas que procuram sofisticação, bem como uma experiência de jantar inesquecivelmente saborosa.

Menu - Alinea

Não encontrei muitas imagens, e as que achei estavam com má qualidade… Por isso resolvi mostrar as fotos do site do Alinea.

 

Watermelon

Salsify

Lemongrass

Sardine

Wagyu

Chestnut

Tomato

Chicken liver

Sorrel

Strawberry

Venision

Trout roe

Coconut

Hearts of palm

Apple

Duck

Hot potato – cold potato

Rhubarb

Blackberry

Sweet potato

Licorice

Peanut

Beef Shortrib

Crab

Tomato

Chocolate

Bacon

Turbot

Lindos demais os pratos… A legenda eu coloquei como está no site!!

Fiquem ainda com este vídeo que mostra detalhadamente o funcionamento da cozinha e do restaurante em si… Os pratos são literalmente montados à pinça!!! Muuuuuuuuuito demais!! Vale a pena conferir.

Dica: Esperem o vídeo carregar todo para depois assistir, se não ele vai travando (pelo menos no meu foi assim)

http://vimeo.com/6184730 

O Alinea está aberto apenas para jantar, de quarta a domingo.

Alinea
1723 North Halsted
Chicago Illinois
60614
Reservas: 312-867-0110

Informações retiradas daqui.

Espero que tenham gostado…

Nickolle Abreu

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Os melhores restaurantes do mundo: 9º

Continuando com a nossa série… Os melhores restaurantes do mundo, hoje será a vez do 9º colocado… O Restaurante espanhol Arzak.

DSC_0394.JPG

Suas portas foram abertas por Jose Maria Arzak Etxabe e sua mulher, Escolástica Lete na cidade de San Sebastian – Espanha em 1897 e apenas seria uma taberna que serviria vinhos e comida, mas o restaurante foi passado por gerações da mesma família passando para serviços de banquetes para festas de família até chegar às mãos de Juan Mari Arzak e Elena Arzak – sua filha que hoje comanda o estabelecimento, pertencentes à 3ª e 4ª geração da família fundadora. 

O restaurante que permanece no mesmo endereço só tem a fachada semelhante à daquela época. Porque o que sai de sua cozinha faz parte da mais moderna gastronomia espanhola.

fachada-arzak

O Restaurante detém 3 estrelas Michelin concedidas em 1989.

Juan Mari Arzak já era reconhecido como um dos principais chefs do país. Mas continuou buscando novas técnicas da cozinha-científica. Tem um destilador hoje na chamada “cozinha fria” e um quarto de especiarias que reúne mais de 1400 potinhos com ervas de temperos do mundo todo.

0009-Cuarto-de-las-Especies

 Quarto das especiarias.

elena-e-arzak

Elena e Juan Mari

Sua cozinha procura desenvolver o que há de mais tecnologico na gastronomia juntamente com a tradicional cozinha basca – espanhola, utilizando produtos da região. Sua filha Elena conta, por exemplo, que os bascos detestam coentro e não gostam muito de coco na sua comida. Mas gostam de alho.

A Inovação e o supreendente aparecem em todo o cardápio: na apresentação dos pratos, nas descobertas de novos produtos, nas mágicas das espumas e das transformações. Tendo o cuidado de não parecer algo químico ou artificial.

Alguns dos pratos servidos no Arzak:

DSC_0316.JPG

Puding de kabrarroka con fideos (macarrão)  fritos – Um croquete com interior cremoso e com sabor de queijo e uma espécie de macarrão frito crocante envolvendo.

DSC_0325.JPG

Raiz de loto con mousse de arraitxiki – chips de raiz de lótus crocante imprensando um mousse de peixe.

 

DSC_0319.JPG

Mejillon en escabeche con vinagre de arroz –  Mexilhões marinados no vinagre de arroz.

DSC_0322.JPG

Chorizo en tempura con tamarindo

DSC_0331.JPG

Higos con aceite de foie – Rodelas de maçãs quentes (provavelmente ao forno) com uma “pitada” de foie gras por cima, caramelizado.

DSC_0335.JPG

Cigalas sobre liquer de hongos y algas – Caudas de lagostim com molho de milho, fungos e algas

DSC_0339.JPG

Camarão com skidmark – Prato rústico

DSC_0341.JPG

Lagosta com batatas e coapaíba

DSC_0346.JPG

Huevo con temblor de tierra – ovo cozido a baixa temperatura (65°C), com gema mole, com trufas brancas e uma farofa crocante de pão.

DSC_0354.JPG

Lenguado con aceite de jengibre y pan de coco – linguado com molho de gengibre e discos de melão e croutons

DSC_0358.JPG

Rape bronceado – Lagosta grelhada com cebolas metalizadas.

DSC_0361.JPG

Taco de vacuno con resina, molleja y vino de bota – Carne com espuma de vinho tinto

DSC_0367.JPG

Pichón con perdigones dulces – Pombo com bolinhas de vinagre de arroz doce que explodem na boca

AS SOBREMESAS

DSC_0372.JPG

Sopa y chocolate “entre viñedos” – Bolinhas de chocolate que explodem na boca com um sorbet de manjericão

DSC_0374.JPG

Dulce lunático – Caramelo com explosão de citrus

DSC_0378.JPG

Melecoton asado con azucar de flores – PÊssego assado com açúcar de flores

DSC_0381.JPG

Bizcocho esponjoso de yogur  – Esponja de iogurte com notas de banana

DSC_0384.JPG

Mignardises

O que mais posso dizer, se não que QUERO MUITO CONHECER TUDO ISSO!!!

155 € para o menu de degustação de vinhos, excluindo os  USD $ 290 por pessoa (preço de Set-2009)

Caso queira conhecê-lo, aqui está o endereço:

Restaurante Arzak
Avda. Alcalde Elosegui José, 273
20015 Donostia / San Sebastian

Espero que tenham gostado!!! E lembrando: ainda tem mais 8 dos melhores restaurantes por vir!!

Informações e imagens retiradas daqui e aqui!!!

Nickolle Abreu 

 

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized